domingo, 10 de fevereiro de 2008

Leia o cheiro



Saiu o primeiro livro do Pedro.

Como assim, "do Pedro"? Que intimidade é essa?

Não tem intimidade, não. É que o Pedro foi meu aluno.

E escrevia bem desde sempre.

Do livro eu li fragmentos quando ainda não tinham forma de livro.

Não acompanhei o crescimento das crianças - nem do Pedro nem do livro.

Guardo o rosto, a voz e o jeito do autor e fragmentos do feto do livro nas retinas já cansadas, mas ainda abertas à aprendizagem de novas lentes.
Li de enfiada, numa primeira vez.
Na segunda, comendo alguns cacos. De vidro.

Há preciosidades como esta:

"VENDE-SE
Um grito"


Ou esta:

"Ai tadinho
Ai tadinho
O homem que comeu a lua
Virou vaga-lume no programa do Ratinho"


Os contos suspendem o fôlego - cuide-se, mano, depois não se recupera, não.
Fica suspenso mesmo. Os pés não voltam ao lugar. Nem precisam. Melhor flutuar.
Leia o conto que dá título ao livro. Depois deleite-se com o intertexto a "Balada do camelo vagabundo". Entre, a casa não é sua, mas é receptiva.

Mais não digo, irmão, porque mais não há a dizer, exceto isto: compre o livro, desliga o BBB e vai ler.
Vai fazer bem pras suas lentes de ver o mundo...

2 comentários:

dougui disse...

Carlão.... (que intimidade é essa?)
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

cuidado quando fala do BBB...

Tatines pode não gostar! kkkkk

(daqui a pouco ela aparece! kkk)

Bjos (saudades mais to sempre aqui!)

evao do caminhao disse...

anotada a sugestão